Caros (as) amigos(as),

Estamos muito felizes em apresentar um final de semana especial de criação literária na Serra Gaúcha - INTEGRIA - focalizado pelos grandes Alcy Cheuiche e Ariane Severo.

Vem liberar a escrita que mora dentro de ti!

Este workshop é uma oportunidade de deixar de lado a correria cotidiana e dar tempo e espaço suficientes para ouvir as histórias e poemas que se gestam dentro de nós.  Iniciantes e experientes são todos bem-vindos.

Teremos duas opções de oficina em formato de imersão de final de semana. Cada participante deverá escolher uma das duas oficinas no momento da inscrição:

Oficina 1 - Técnicas Essenciais na Arte de Escrever, focalizada por Alcy Cheuiche
Oficina 2 - Todos Nós Temos uma Historia para Contar, focalizada por Ariane Severo

Cada oficina tem capacidade máxima de 15 pessoas, sempre respeitando a vontade do participante em compartilhar ou não sua produção durante o curso.

Sábado à noite teremos uma provinha do tradicional Sarau Literário reunindo todos os participantes dos dois grupos. 

Tomara que possas te dar de presente esta oportunidade de abrir a janela de tua alma e expressar a preciosidade do teu ser em palavras. Vem receber o outono no ar puro da Serra Gaúcha, rodeado de outras pessoas especiais que, assim como tu, sentem o poder curativo e vital da criação literária.

Por favor manifesta tua intenção de participar até o dia 15 de março.

Informações e inscrições por e-mail: integria.brasil@gmail.com
 
Sejam todos muito bem-vindos!

Equipe INTEGRIA

www.integria.com.br

 
OFICINA 1
OFICINA 1: TÉCNICAS ESSENCIAIS NA ARTE DE ESCREVER
focalizada por Alcy Cheuiche
 
1. Oficina
           
Oficina é o local onde se exerce um ofício. Em nosso caso, o ofício de escrever.
Desde que surgiram na Europa e nos Estados Unidos, há cerca de cinquenta anos, as oficinas de criação literária obedecem, em sua concepção, à máxima latina dos construtores de catedrais góticas: Ars sine scientia nihil est. Ou seja, a arte sem a ciência, nada é.
A arte de escrever é um dom, mas pode e deve ser aperfeiçoada pelo conhecimento científico de suas particularidades. Assim, a joia bruta do talento, bagagem intrínseca do aluno da oficina, é burilada pelo oficineiro, pelo professor, de forma a propiciar ao aluno a capacidade da escrita científica, ou seja, despida de erros que a tornam cacofônica ao leitor.
 
2. O que é um escritor em potencial
 
Em regra geral, os alunos das oficinas começam duvidando de sua capacidade de escrever realmente, de chegarem a ser escritores. Isso acontece porque, em razão do exercício de outras profissões, os alunos não tiveram oportunidade de desenvolver o talento da arte de escrever. E logo descobrem, através das técnicas fundamentais da oficina, que esse talento aflora dos subterrâneos do inconsciente, uma vez que as oficinas foram concebidas como o abre-te sésamo da caverna de Ali Babá. 
 
          
            Técnica a ser empregada: caberá ao Professor a tarefa de motivar os alunos escritores para a redação dos textos, através de técnicas da arte de escrever que os habilitem à elaboração de contos, como exemplificamos, a seguir.
Todo e qualquer texto literário, seja conto, crônica, ensaio, romance, peça de teatro, roteiro cinematográfico, possui sempre três componentes fundamentais: personagem, ambiente e ação. Para exemplificar, vemos que os romances clássicos, como “Os Miseráveis”, de Victor Hugo, ou os contos do século XIX, como os de Guy de Maupassant, podem nos parecer hoje lentos, porque a nossa leitura contemporânea não aceita mais as longas descrições ambientais. A literatura atual, muito influenciada pelas imagens do cinema e da televisão, deve ser capaz de fornecer, de maneira sintética e muitas vezes poética essas descrições do ambiente, dando logo a palavra aos personagens e tratando de cativar o leitor com a agilidade da ação. Em verdade, esse equilíbrio deve ser natural. Mas, para obtê-lo, o aluno deve aprender a nadar dentro d’água, como costumamos dizer.
Um exemplo dado com ênfase nas aulas de oficina é a hiperestesia, ou seja, o uso dos cinco sentidos na narrativa ficcional. O leitor, frente a frente com a narrativa, dispõe apenas das palavras para formar em sua mente as imagens do ambiente, dos personagens, da ação. Desta forma, é indispensável que sejam escritas palavras que lhe transmitam cores, sons, odores, sabores, sensações táteis. Imagine-se tomando um banho de mar. Seus olhos contemplam o colorido das águas e do céu, seus ouvidos captam o resfolegar das ondas, seu olfato identifica a maresia, sua boca tem gosto de sal, seus pés tocam na areia e todo seu corpo sente o impacto das ondas. Em realidade, negar ao leitor o uso de seus sentidos é diminuir a qualidade da obra. É afastá-la da sua intimidade, das suas experiências, da sua cumplicidade.
Será trabalhado também foco narrativo, uso correto do tempo verbal, discurso direto e indireto, entre outras.
  
ALCY CHEUICHE
 
Alcy José de Vargas Cheuiche nasceu em Pelotas em 1940. Aos quatro anos mudou-se para Alegrete onde viveu até ingressar na faculdade de medicina veterinária, em Porto Alegre, no final dos anos 50. Estudou também na França, Alemanha e Bélgica. Possui obras traduzidas para o espanhol, o alemão, o francês e o inglês. Recebeu muitas distinções por sua atividade literária, entre elas as medalhas Simões Lopes Neto, Santos Dumont, Oswaldo Aranha, a   Comenda   Charrua   e   os   prêmios   literários Açorianos, Ilha de   Laytano, RBS Rádio, Troféu Guri, entre outros.  Em 2006, foi patrono da Feira do Livro de Porto Alegre, uma das maiores em espaço aberto do mundo. Em 2011 foi patrono dos Festejos Farroupilhas, atividade que mobiliza milhões de   pessoas   em   todo   o   Rio   Grande   do   Sul.   Autografou seus livros e proferiu conferências em muitas cidades brasileiras e também em outros países como Uruguai, Argentina, Chile, Estados Unidos, França, Alemanha. É tradutor e orientador de oficinas de criação literárias. Publicou 75 livros resultado das oficinas. Pertence à Academia Rio-Grandense de Letras, Academia Brasileira de Medicina Veterinária. 
OFICINA 2:
Oficina 2: Todos nós temos uma história para contar
 
            Todos nós temos uma história para contar. A escrita como uma salvação, um resgate da nossa história ancestral que nos ajuda a explicar por que somos como somos e não de outra maneira. Buscar essas histórias que nos constituem e nos interpretam supõe um dos elementos mais fascinantes que nos acompanham desde nossas origens: a imaginação. Sem a imaginação nos resultaria impossível aproximar-nos sequer da matéria prima da nossa história
O escritor é um grande leitor do mundo, vendo e conversando com a realidade que passa a existir dentro dele. No momento que escreve ele revela o mundo a sua leitura. As histórias são escritas numa síntese de palavras, de emoção que será expandida pelo leitor.
         Nós trabalhamos com a memória pessoal. O que escrevemos é o que nos foi transmitido e transformado. A criatividade é a habilidade de transformar, é uma releitura, é fruto de uma inquietude.
          Oferecemos um espaço cultural e potencial para criarem imaginariamente e de forma espontânea. E esta tessitura se dá no jogo da letra que se move na página em branco, fazendo surgir palavras mágicas que transformam, produzindo efeitos de leitura. Nessas leituras encontrarão vozes múltiplas, ecos, espelhos, ressonâncias do prazer da criação.
         Como recurso literário, utilizaremos fotografias de família e cartas.
 
Ariane Severo, psicanalista e escritora.
Diplomada em Direito e Psicologia. Psicanalista pelo Centro de Estudos Psicanalíticos de Porto Alegre e Especialista nas Configurações Vinculares pelo Contemporâneo Instituto de Psicanálise e Transdisciplinaridade. Professora e supervisora há vinte anos nesta instituição.
Escritora.
Livros de Psicanálise:
Transmissão Transgeracional e a Clínica Vincular, Casa do Psicólogo, São Paulo, 2006 (coautora).
Encontros & Desencontros -  A complexidade da vida à dois. Casa do Psicólogo, São Paulo, 2010.
O Suave Mistério Amoroso: Psicanálise das Configurações Vinculares, Editora AGE, Porto Alegre, 2014.
Os dois lados do espelho – Relato de uma experiência em Psicanálise Vincular,Editora AGE, Porto Alegre, 2015 (coautora).
Literatura de ficção:
Coautora de seis coletâneas de contos (2009, 2010, 2011, 2012, 2014, 2015) sendo duas delas bilíngues português/francês e uma português/espanhol/guarani.
Coautora do livro Poesia & Declamação (2918) da Oficina de Criação Literária Alcy Cheuiche. Editora Martins Livreiro, Porto Alegre.
Capuccino, Coletânea de contos. Editora AGE, Porto Alegre, (2016).
Nina – Desvendando Chernobyl, Romance. Editora AGE, Porto Alegre, 2017).
Organizadora da Coletânea de Contos da Oficina de Literatura e Psicanálise Ariane Severo (2015)  Editora AGE, Porto Alegre e (2017 e 2018) Editora Martins Livreiro, Porto Alegre.

Local: O curso será realizado em regime de imersão no INTEGRIA - Centro de Vivências, em Picada Café - RS, distante cerca de 80 km de Porto Alegre. Trata-se de um local especialmente concebido e estruturado para sediar o aprendizado vivencial, para o desenvolvimento saudável e sustentável do ser humano.

 

Data: Março 29-31, 2019

Horário: das 19hs da sexta-feira às 14hs do domingo

Valores (incluindo curso, hospedagem e todas as refeições): consultar por e-mailintegria.brasil@gmail.com

As vagas são limitadas e preenchidas por ordem de inscrição.

ACEITAMOS CARTAO DE CREDITO

O valor inclui o curso, hospedagem e todas as refeições. A alimentação é essencialmente ovo-lacto-vegetariana. 

Tomara que possas participar.

inscrições por e-mail: integria.brasil@gmail.com


obrigado
Equipe INTEGRIA

 

 
Share
Tweet
Forward