Bio-Arquitetura e Construção com Terra Crua

Entendemos a Bio-Arquitetura como a Arquitetura de integração harmônica e consciente do ser humano com o meio ambiente. Trata-se de uma corrente dentro da ciência atual que visa achar soluções de construção com o mínimo impacto ambiental, utilizando materiais do local, telhados com vegetação, cuidado intenso na conservação e utilização de energia e gerando construções que causem o mínimo impacto ambiental possível, desde visual como em relação aos materiais utilizados .

Um dos maiores exponentes da arquitetura ecológica ou bio-arquitetura é o Prof. Dr. Gernot Minke, Alemanha. O Prof. Minke dirige o Laboratório de Construções Experimentais da Universidade de Kassel, com décadas de pesquisa e resultados excelentes nas perspectivas ecológica, econômica, estética e cultural, entre outras. O INTEGRIA – Centro de Vivências tem a honra imensa de estar construindo no Brasil junto ao Prof. Minke, e oferecendo cursos teórico-práticos de Bio-Arquitetura.

A construção com terra crua

Uma das técnicas principais da bio-arquitetura é a construção com terra crua. Ao invés de utilizar energia para fazer tijolos, esta técnica propõe a utilização da terra crua.

Muitas vezes a arquitetura com terra crua é associada a desastres, à idéia de fragilidade da construção. Conforme Prof. Minke, isso não tem fundamento, pois desde que se utilizem boas técnicas, as construções com terra crua podem suportar sismos sem problemas. “As casas desabam porque o terreno não está bem preparado ou a construção é de baixa qualidade mas não porque sejam construídas com terra ou adobes (Minke).”

A vantagens de construir com terra crua estão sendo aproveitadas hoje em dia na Europa pelas famílias com maior poder aquisitivo, enquanto na América Latina, este tipo de construção costuma ser relacionado à falta de recursos financeiros. Este preconceito faz com que seja ainda restrito o número de pessoas que optam por esta técnica. “Mas são construídos edifícios de vidro que depois têm que ser protegidos do sol intenso. Não dá para entender”, afirma o Prof. Minke.

Existe um movimento crescente no mundo inteiro de pessoas em busca de maior consciência ecológica, preocupadas com a sustentabilidade planetária, e a opção pela bio-arquitetura acompanha gradualmente esta busca. O Brasil tem em sua história muita sabedoria registrada sobre a construção com terra crua. A técnica do pau a pique, por exemplo, muito utilizada historicamente no país, está sendo valorizada como alternativa para construções de vários portes. A utilização da terra crua como material de construção tem como principais vantagens: é um material ecológico, disponível no mundo todo, é um excelente isolante do calor e do frio, proporciona isolamento acústico, cria um equilíbrio na umidade do ambiente, além de absorver substâncias daninhas do ar.

Uma das maiores contribuições do Prof. Minke é a sua contínua pesquisa e inovação, desenvolvendo técnicas avançadas de construção com terra crua, melhorando a composição dos adobes para não utilizar rebocos, aprofundando as vantagens de isolamento térmico e acústico das construções com terra crua.

Junto a cidades inteiras da idade média como Yemem ou antigos templos do Egito como o de Ramses II com 3200 anos de idade, brilham hoje as modernas construções realizadas pelo Prof. Minke no mundo inteiro, destacando-se um centro de saúde na cidade de Vöhl , uma creche antroposófica em Sarsum, um hotel em Kassel e muitas residências de altíssimo padrão.

Gernot Minke é autor de vários livros e já publicou mais de 300 trabalhos. Seu “Manual de Construcción en Tierra” editado pela Nordan Comunidad é uma obra de referência muito utilizada pelos interessados nesta técnica. Está especificamente dirigido aos profissionais arquitetos e engenheiros, mas, com suas muitas ilustrações e referências históricas, torna-se uma obra de interessantíssima leitura para leigos também.

A bio-construção é um dos pilares fundamentais da sustentabilidade, ao lado de saúde integrada, economia solidária, educação para a paz e resgate dos valores humanos, liderança circular, ecologia profunda, agricultura orgânica, entre outros. Estes valores são a coluna dorsal do movimento global de Ecovilas, uma rede que cresce a cada ano no mundo todo, buscando e construindo alternativas viáveis para a construção e manutenção de comunidades sustentáveis, respeitando a vida de todos os seres, do planeta e das futuras gerações.

A Bio-Arquitetura no INTEGRIA

INTEGRIA –Centro de Vivências em Picada Café, RS, sob projeto e supervisão do Prof. Gernot Minke (Alemanha), construiu uma cúpula de terra crua de 9 mts de diâmetro, com telhado verde, um Memorial da Sustentabilidade, acolhendo os cursos que acontecem neste pioneiro centro de aprendizado vivencial do Brasil. Trata-se da primeira cúpula da América Latina com estas características. Esta estrutura especialmente desenhada no laboratório coordenado pelo Prof. Minke combina o uso tradicional da terra crua junto à mais moderna tecnologia de construção. Utiliza-se uma guia rotatória que marca o raio exato e a curvatura especificamente calculada para oferecer estabilidade à estrutura e uma acústica ímpar. Seu desenho e técnica de construção resgatam a energia dos templos sagrados da antigüidade, proporcionando o continente ideal para trabalhos de crescimento interior e expansão da consciência.

Cabanas de Terra Crua

O seguinte desafio do INTEGRIA junto ao Prof. Minke foi a construção de cabanas de terra crua e telhado vivo para moradia/hospedagem no Centro de Vivências. Trata-se de mais um exponente sublime da bio-arquitetura, uma construção que inspira criação, descanso profundo com conforto térmico inigualável

 

INTEGRIA- Centro de Vivências

Setembro 2004

http://www.integria.org

 

 
anterior
seguinte